o bibliotecário 2.0 (SP1)

Service Pack 1


  • Facebook

    O Bibliotecário 2.0 on Facebook
  • Outros Blogues


    oitenta e cinco. Get yours at bighugelabs.com/flickr
  • RSS O outro blogue

  • Translate

  • Comentários

  • Arquivos Temáticos

  • Arquivo Mensal

eLearning Lisboa 07: Marc Rosenberg

Publicado por Julio Anjos em 2007, 15 de Outubro

Em Portugal chama-se a esta fase a “oração de sapiência”. Na verdade foi uma grande apresentação à qual teria tido muita pena de ter faltado.

Gostava tambem de, um dia, ver o Dr. Rosemberg em tete-a-tete com Stephem Abram… Um acha que os sistemas de suporte à aprendizagem se têm de parecer com bibliotecas e o outro acha que as bibliotecas têm de ser mais potenciadoras da experiência de aprendizagem… parece-me um par muito ying-yang.

Uma pessoa que diz que uma biblioteca não é um depósito de livros, mas um sistema de gestão de conhecimento, e o consegue justificar a contento de todos os presentes… tem obviamente muito valor. É mais ou menos assim: se uma biblioteca fica completamente des-subsidiada e chamasse todos os cidadãos à sua porta dizendo: “Cada um leva cinco livros para casa e deixa o nome. Amanhã entregamos uma lista com o nome de cada livro e quem é que o tem”.

Em quanto tempo pelo menos 50% dos livros estaria completamente sem rasto? Segundo todas as simulações informáticas: 1 dia.

Ele bem disse que não valia a pena tomar mitas notas mas senti muita gente a fotografar cada slide dele (inclusivé eu).

Calhando até compro o livro dele… compre VOCÊ TAMBÈM

DSC05692

Ou contacte o conferencista

~DSC05797

Sobre eLLx07 | 2 Comentários »

eLearning Lisboa 07: Sessão plenária I

Publicado por Julio Anjos em 2007, 15 de Outubro

Claudio Dondi, Presidente da Scienter (moderador)

eLearning is in the center of Learning and ICT, and it’s no small matter to be that interface and that sinergetic place

? O que não correu bem na implementação da Agenda Lisboa?

  • Paul Lefrere, Professor do e-learning e investigador, Univ Tampere e Institute of Educational Technology Uk
    • Necessidade de adicionar valor à sociedade pelo eLearning, e adicionar mais valor pelo elaernainfg que por outros mecanismos. Lisboa Agendas há muitas ( nomeadamente os Chineses)
    • Video de self directed learning, ajudar as pessoas as ‘auto-determinar’ o seu o processo de aprendizagem.
    • A rota académica nao é sempre a melhor. Are we pushing our kids in the rigth direction?
  • Markku Markulla, Director do Lifelong Learning Institute Dipoli
    • What did not work? Nort enough networking, no networking skills for sharing best practices , outcome so everyone profits.
    • Productivity
    • Integration of ICT and productivity, we still dream of superproductivity
    • Inovativeness, nor well managed not a stimulting force behyonf our processe.
    • Joint knowledge creation, facilitated workplace learning
    • We need new skills for new jobs but how to create curricula for such a contradiction?
    • new elearn conc based on socisl web developing networks of excelence.
  • Diogo Vasconcelos, eGov CISCO
    • Durante os 1ºs 5 anos não se fez praticamente nada de util, a não ser relatórios.
    • Quem daqui presente leu os documentos todos que sustentam a Lisbon Agenda/Strategy?´Poucos, muito menos de 30%
    • Desconexão com a sociedade. Ninguem na europa se relaciona com a Estrategia de Lisboa (nos 500 milhoes de europeus), compreendem o Erasmus, compreendem Europa, mas ESTRATÉGIA LISBOA NÃO.
    • Vivemos num mundo diferete daquele em que a Estrategia de Lisboa foi criada. A ubiquidade da conectividae ultrapassou o que se esperava na altura.
    • Nao vivemos no mundo ed comando e controle, temos de criar mecanismos que aproximem as pessoas à agenda.
    • A CISCO (de que DV é Distinguished Fellow) tem Universidades tanto internas como externas, e eLearning está permeado na nossa maneira de ser empresa, desde o Afeganistão a prisões nos EUA.
    • Deêm-le o nome que quiserem, mas acabem com esta skill’s gap europeia.
  • Rogério Carapuça, Presidente do Conselho de Administração da Novabase, SGPS
    • What went wrong? The first 5 years!
    • One can’t change a culture in five years.
    • Europ Culture is averse to risk, but we have to risck to be competitive, and this has to be changed in school., It’s at leat one generation long jog.
    • Merit culture. Is a strong motivation to learn. It takes a lot of time.
    • We just did not understand it would be so hard to change the cultural underlying.

 

Claudio Dondi, last year eveyone said Lisbon agenda was going to be a complete failure. Now it’s no so. The international conjecture is also better bor the European agenda. The Utopia placed was needed. (Cirtação de Conn Bandit). We can now recoveer the ground lost (not used) in the 1st phase of implementation.

Direct proposals for this conference, (reptos)

  • Paul Lefrere, Professor do e-learning e investigador, Univ Tampere e Institute of Educational Technology Uk
    • Em alianca com o MIT, uma aliança de formação
    • Projectos piloto, open innovation action, open content everything to try top break the present sistem which takes to long for researh to ve of value for the socienty that pays.
    • We need new professions, for these jovs, we need to remake many people, who come out of universities allready out of date.
    • Network of experts in DG6
    • Looking for new ways of sharing, converting networks of pelople into
  • Markku Markulla, Director do Lifelong Learning Institute Dipoli
    • Empowering people
    • Empowering groups/Teams:
      Knowledge sharing, Sharing Experiences
    • Empowering networks
      Now everyone needs to be connected with each other
      Using Social Web , not onley courses, each one creates its own knowledge management toolbx.
      Mixed modes from presential and online, face to face and face to computer… but someone allways miss something
      We need better exchange of concepts that work, connecting innovations to people.
  • Diogo Vasconcelos, eGov CISCO
    • No single idea taht changes the world or europe
    • The mood is diferent
    • there are some results
    • From gorverment to Society ownership
    • Make a market for elearning, recognize credits.
    • Univ must nuy digital contents
    • UK Learning Credits
    • A sort of ebay or google for elearning, school of eveything, for people to sell skills. where people buy and sell tranafers of knowledge
    • Web 2.0 mekes such things so much easier… and cheapper. It does not even have to be perfect at launch time… we need qa beta attitude in european eLearning entrepeneurship.
    • Usergeneated content is mostly video. Youtube is now as broadband as the whole internet was in 1990.
    • Korea has 10 million people with fiber to home at 28$ per month, and in Japan they have it for free
    • Chalenges transformable into opportuities
      • Aging population
      • Carbon footprint redutction (Al Gore rules!!!)
    • How to make the two things a strength instead of a challge
      There are amny thing we need to train our contiozenenry in a new world (Carbon efficiency is just an example)
  • Rogério Carapuça, Presidente do Conselho de Administração da Novabase, SGPS
    • Very simple things that one can define and create
    • Consider
      • Culture of Merit, which we can legislate, where to keep the job or to progress in the career every public servant has to better himself.
      • That every minimaly complex product has, instead of a paper manual we never read anyway and allways throw away, an eLearning object avaialble on the web. At least it saves trees and energy. 37% does not yet have minimal ICT skills, this would force them to.

 

POR FALTA DE BATERIA ESTA REPORTAGEM FICA SUSPENSA

DSC05677

Sobre eLLx07 | Comente!... »

eLearning Lisboa 07: novas palavras

Publicado por Julio Anjos em 2007, 15 de Outubro

Não gosta de "web 2,0"… e de "socialWARE" ?

Sobre eLLx07 | Comente!... »

eLearning Lisboa 07: Sessão plenária I (1)

Publicado por Julio Anjos em 2007, 15 de Outubro

Parece que se vai falar também disto:

Edge

Sobre eLLx07 | Comente!... »

eLearning Lisboa 07: Boas Vindas

Publicado por Julio Anjos em 2007, 15 de Outubro

Com um bonito ramalhete de ministros e secretários de estado na primeira fila, Luis Filipe da FDTI (Fundação para a Divulgação das Tecnologias de Informação) começa por afirmar que esta é já a maior conferência sobre eLearning alguma vez realizada em Portugal com 84 oradores e 1800 participantes.

Agradecimentos aos diversos intervenientes e em especiaol ao Eng Carlos Zorrinho (o "Lisboa Man" que vem mesmo de  Lisboa) e a Roberto Carneiro, da comissão científica.

Carlos Zorinho: Um reconhecimento que a sociedade portuguesa adoptou o plano tecnologico. Esta conferência nasce da sociedade civil, sendo depois do lançamento, e apenas depois do lançamento, alvo de muitos apois institucionais.

"Há que criar um ambiente rico em conhecimento para que possamos criar uma sociedade em que seja natural aprender, da mema maneira que se respira bem num ambiente rico em oxigénio."

Claro que para mim é necessário criar um ambiente com acesso facilitado à informação para que a criação de conhecimento possa ocorrer, mas enfim, paradigmas diferentes sobre como medir conhecimento: ou em termos de médias escolares ou milhares de sms’s na véspera de Natal. Incidentalemente o método Irlandês, de raptar investigadores universitários de renome (raptados a 5 vezes o ordenado corrente com contrato inescapável de 5 anos) para leccionar nas suas universidades (inclusive em formação de novas gerações de professores primários) parece-me mais apropriado… mas enfim, o ministro é ele e não ele.

Depois dos agradecimentos o Engº Zorrinho lança-se num discurso que deve ter tito o título de trabalho  "Vivemos num tempo em que conhecimento é a principal fonte de valor" bastante interessante que será objecto de artigo próprio, onde se falou de muita coisa, inclusivamente de que "o mundo é plano" (coisa que eu já sabia e que graças a Deus este homem sabe).

Segue-se o Ministro do Trabalho e Solidariedade Social que chama à mesa a "qualificação" que é essencial para o "desenvolvimento" (espero que não seja "qualificação" no sentido de fábricas de diplomas que essa não contribui para o "desenvolvimento", apenas para a posição ocupada nos rankings de "qualificações" ). Formação inicial de jovens voltada para a empregabilidade… "Novas Oportunidades"… Catálogo Nacional de Qualificações

Segue-se ainda o Ministro da Presidência, , que fala e fala sobre o enquadrammento desta conferência na Presidência Portuguesa, etc, etc,… e nota a certa altura que este não é um país em que se pode entregar o IRS online… é um país em que 60% dos contribuintes fazem a declaração Online, em que mais de metade das novas empresas são criadas online, e desde há uns dias até online… em que se acabou com o Diário da Republica em papel (não me admira que haja tanta aceitação da versão online, afinal é a única que há…) Enfim … conversa de TIC, aliás de eTIC, e um pouco feita para estrangeiro ouvir.

Dia z acerta altura que temos agora, nas escolas, 1 computador com ligação à internet para 8 alunos, sendo desejado por este governo chegar a um ratio de 1 CPU para cada 2 alunos, o que deve fazer os importadores de computadores muito felizes. Mas a verdade é que as estatisticas de acesso ‘inclusivo’ (camadas mais desfavorecidas, pré-universitárias e a-universitárias) à internet estão aquém das médias europeias. Fará isto subir o nosso status nos resultados do PISA? Francamente… só sei que é ouro sobre azul a economia chinesa.

"Que esta conferência seja o que a europa precisa, ou seja um SUCESSO"

Sobre eLLx07 | Comente!... »

eLearning Lisboa 07: Porquê estar aqui?

Publicado por Julio Anjos em 2007, 15 de Outubro

Porquê?

Ora essa! Porque a aprendizagem ao longo da vida não vai significar que se construam mais edifícios escolares, mas que se vão aproveitar os meios de comunicação para fazer a delivery da experiência educativa. E as bibliotecas estão desde há muito convocadas para fazer parte tanto da delivery como do suporte periférico à experiência (para quem quiser saber mais falem com a Drª Marta Miranda da BM de Vila do Conde).

As bibliotecas, principalmente as públicas, têm de se tornar locais em convidativos à experiência de aprendizagem, e

Nota-se aliás que organizações em Portugal se preocupam com a temática conforme as presenças.

Não esquecer que não é a ler que a gente aprende… essa é apenas uma das fases de acesso à informação, que depois de interirorizada e contextualizada se torna conhecimento.

PS: Não esquecer também que cada vez mais a formação continua dos profissionais de informação, entre eles os bibliotecários, vai ter de passar por este método. O tempo das peregrinações a Lisboa para cursos de Unimarc está a acabar.

Sobre eLLx07 | Comente!... »

eLearning Lisboa 07 (2)

Publicado por Julio Anjos em 2007, 15 de Outubro

A internet via wifi  parece completamente grátis.

Sobre eLLx07 | Comente!... »

 

Bad Behavior has blocked 30575 access attempts in the last 7 days.