o bibliotecário 2.0 (SP1)

Service Pack 1


  • Facebook

    O Bibliotecário 2.0 on Facebook
  • Outros Blogues


    oitenta e cinco. Get yours at bighugelabs.com/flickr
  • RSS O outro blogue

  • Translate

  • Comentários

  • Arquivos Temáticos

  • Arquivo Mensal

IL2006: Searchers Academy – Greg Notess

Publicado por Julio Anjos em 2006, 22 de Outubro

Coisas muito interessantes.

Greg Notess vez um ‘update’ desde a ultima Academy em Washington, e com e costume o google pregou-lhe mais uma partida pois nesta sala, hoje de manhã, o ‘schollar’ era uma opção nas opções ‘more’m da página inicial do google. Amanhã poderá não ser. Fiquei impressionado com o facto de o yahoo ter opção para filtrar não só ao nome de dominio de uma página mas também ao ip do servidor (será que aceita intervalos?).

O exalead permite pesquisa por expressões regulres ( que eu era o único em sala a saber o que eram, e levantei o braço quando o formador perguntou).

A pesquisa de imagens no live está realmente muito bem consequida

Tenho aqui uns links para umas bookmarklets e uns plugins de firefox que matam toda a publicidade fornecida pelo google adsense, que tenho de experimentar.

Parece que o IE 7 também tem plugings e pela primeira vez em muitos anos, a Microsoft teve de seguir as pisadas de outro produto. Vamos a ver como se sairam… mas por mim, estou mais preparado para ficar com o Firefox, cuja versão 2 é publicada , oficialmente, em 24 de Outubro.

Mary Ellen Bates trata normalmente da pesquisa business and competitive.

Sobre IL2006 | Comente!... »

IL2006: Searchers Academy – Chris Sherman

Publicado por Julio Anjos em 2006, 22 de Outubro

http://SearchEngineWatch.COM

Hidden tools on the 4 big search engines and some more things.

Um “chorilho” de pedras preciosas, tanto truques como sites, desde os 4 grandes: ask, yahoo, google e live até Kosmix, Liveplasma, Last.fm, Wizag,  Plazes, Farecast, Kayak, MyHeritage, Hte Real Underground e para divertir , corkd.com (sitio de indexação/catalogação/opinião de vinhos!!!)

Sobre IL2006 | Comente!... »

IL2006: Searchers Academy – Mary Ellen Bates

Publicado por Julio Anjos em 2006, 22 de Outubro

Mary Ellen Bates tem já seis livros no seu curriculum.

Falou de descoberta de informação na nova web, aka Web 2.0.

Não foi um chorrilho de sites e truques mas um conjunto de técnicas e alertas à navegação, pontilhadas com boas histórias e evidência anedoctal das várias coisas que desejava transmitir.

Aliás uma das coisas de que mais gosta de fazer piada é precisamente a sua incapacidade de ver o potencial de novas tecnologias, ou melhor, de dizer mal do começo de coisas que seis meses depois se tornaram mainstream.

Recorda com muito gusto o facto de no ano em que começou a fazer cursos sobre a web ter passado os primeiros nove meses a fazer cursos sobre a correcta utilização do gopher  e da veronica. E é preciso ser muito antigo na web para saber do que ela está a falar.

É uma senhora baixinha e escorreita, petite seria o termo francês, mas tem um à vontade a falar que establece perfeitamente o nível de autoridade com que deve ser ouvida ( isso e seis livros de sucesso na área)

Falou de vários promenores de vários serviços característicos da web 2.0 , alguns dos quais obtiveram Huau da assistência.

No essencial lembrou que os motores tradicionais pensam na web em termos de que uma coisa foi escrita ontem para ser lida daqui a dois meses, pelo que não consideram probema se apenas visitam um site de dois em dois meses. Na web2.0 isso não é assim, tanto que os grades motores de pesquisa têm já o hábito de tomar o pulso aos principais blogs  todos os dias.

Outro dos paradigmas da web2.0, o mashup, também é propensa a produzir sitios que têm muita capacidade informativa, mas esta apenas é inteligivel por humanos… e os motores de pesquisa não encontram nada de relevante quando indexam esses sitios; isto é: nada do que é encontrado e indexado será provavelmente palavra de pesquisa usada por quem precise muito da informação ali contida. O exemplo máximo disso é o zollio ( valores de casas pelo mashup entre google maps e registos do equivalente às nossas Conservatórias do Registo Predial).

Há no entanto uma história deliciosa que conta sobre uma FAQ que um  voluntarioso utilizador do flickr escreveu, em tempos mas ainda um recurso muito apontado, em que,  sem o saber, re-descobre toda a problemática da catalogação e da indexação, fazendo os raciocinio todos certos quando aconselha a etiquetar por dogs e não por dog. O que não podia deixar de me lembrar do meu ódio de estimação, Weinberger, que parece. aliás, já ter descoberto a diferença entre catálogo e indexação quando arruma o guarda roupa.

Sobre IL2006, maryellenbates | Comente!... »

IL2006: Searchers Academy – Pensamentos finais

Publicado por Julio Anjos em 2006, 22 de Outubro

Estava eu interessado em verificar se uma sessão destas pode ser trocada pela audição diária e atenta de todos os podcasts do SearchCast ( onde o Gary Price já foi anfitrião) e parece que não.

Muito do que é coberto na searchers academy foi coberto no SearchCast mas´o foco em Search Engine Optimizing não permite a referência aos usos das ferramentas, apesar de falar muito do aparecimentos destas.

Os serviços de personalização e RollYourOwn Search Engine parecem ser um dos desenvolvimentos mais interessantes que posso explorar  de imediato.

No global valeu bem o 200 USD (+- 150 EUR) gastos.

Sobre IL2006 | Comente!... »

IL2006: W7: teaching web search skills.

Publicado por Julio Anjos em 2006, 22 de Outubro

Notas em www.notess.com/teaching

Os principios da pedagogia mudam muito menos que os motores de pesquisa.

Muitas vezes esquecemonos de dizer “e depois carrega em enter”… muitas pessoas não assumem que o têm de fazer depois de digitar o endereço na caixa de entrada.

20% das pesquisas processadas pelos motores de pesquisa na verdade são endereços completos

O google antigamente dava uma coisa em resposta à pesquisa por loc.gov que agora apenas dá fazendo um prefixo ao endereços info:loc.gov

A propósito da petensa e-sabedoria dos adolescentes: nem toda a gente com menos de 21 anos sabe tudo o que há a saber sobre a internet ( exceptuando, talvez, a procura e descarga de mp3′s)

Em sala colocar os knowall’s juntos. Um knowall e um noviço é mau para o noviço. Se a sala esiver cheia de noviços arranje ajudantes.

No google pesquisar por “the the” ( grupo musical) e fazer duas ou três formações sobre os resultados ( ou falta de significado dos resultados ). No entato diz-se que o o google passou a indexar stopwords por causa dos the the.

Ao fim de 2 ou 3 minutos os estudantes estão prontos para escrever que não existe nada no mundo sobre o assunto pedido para investigar. No entanto o comportamento de pesquisa por informação sobre o namorado/a é completamente diferente… ( tese em psicologia / educação / comportamentos informacionais pronta a sair?). Portanto o problema não é a capacidade dos alunos empregarem mais tempo de investigação, é a sua vontade.

http://dir.yahoo.com ainda existe, mas durante quanto tempo mais?

Qual o sitio mais autoritativo para obter a população da Povoa de Varzim? O INE? Qual o sitio mais autoritativo para saber informação sobre os carros da Honda? www.honda.pt? E para saber da satisfação dos proprietários/utilizadores de carros Honda?

A utilização de sinais aritmeticos como + e – para realizar operações booleanas chama-se ( malandros ) baby-boolean e por vezes blond-boolean  (booleano para loiras !!!)

A retenção é melhor se a primeira experiência falha e é corrigida. Mas como planear actividades de formação que falhem à primeira vez?

Ferramentas de screencasting (workshop amanhã à qual não vou poder assistir)http://www.notess.com/screencasting/

Uma solução para formação com todos os alunos com computador: Professor na última fila.

E a cereja no topo:

http://www.overture.com

Pesquisar “portugal”

Aparece a lista dos resultados na overture: com a indicação de serem sponsored (pagos) ou não.

No canto supeior direito há um link:”View Advertisers’ Max Bids”

Clicar aí, e depois da entrada do dispositivo anti-robot, verá uma lista com as ofertas que correspondem a cada link comprado.

Agora vá ao yahoo. pesquise “portugal”, e compare os resultados.

Sim, a yahoo põe aqueles resultados marcados como “pagos” mas agora sabemos quantio custa ao anunciante cada vez que clicamos no link pago. Neste caso,  sempre que clicar no anuncio numero 1, a yahoo fica 35 centimos de dólar mais rica.

O 1º link para “offshore” rende à yahoo cerca de 50 dolares cada vez que é clicado. Já o 2º link para bush faz o partido republicano pagar 35 centimos. Os outros links pagos são para rir… Clicar sem o intuito de comprar chama-se click-fraud

Sobre IL2006 | Comente!... »

The badge

Publicado por Julio Anjos em 2006, 22 de Outubro

A Drª InÊs Braga que me perdoe, que não pedi autorização…



DSC01075

Originally uploaded by oitenta e cinco.


Sobre Misc | Comente!... »

It was a long way to Monterey

Publicado por Julio Anjos em 2006, 22 de Outubro

Depois de 5 aeroportos ( Lisboa-Portela,  Londres-Heathrow, Detroit, Denver e São Francisco) e quatro voos, eis-me então em  Monterey, uma cidadezinha de praia (alguns promenores lembram-me de Espinho), da Costa do Pacifico nos EUA…

O registo foi uma aventura, como sempre: a badge identificava-me como sendo oriundo de Alcochete, o que é corretcto mas irrelevante para os americanos e outras nacionalidades que me rodeiam.

Desta vez mandei registar como minha ‘Organização’ uma casa que me é muito querida, a minha “ESEIG” que assim se vê envolvida nestas andanças ( nunca o seu nome terá chegado tão longe ?)

Uma das formações ficou mal registada quando a fiz por internet… foi facílimo trocá-la.

O meu hotel fica um pouco longe mas nada que uma caminhada envigorante logo pela manhã não resolva (e se chover o parque de estacionamento aqui ao lado cobra 5 USD ao dia, o que facilita as coisas).

A lista de redes Wifi disponíveis no átrio do hotel em que a conferência se realiza é completamente louca: aparentemente até o elevador tem WiFi!!! Mas a rede da organização não aparece.

Aos poucos os “Bibliotecários” revelam-se à medida que as pessoas se levantam dos sofás no foyer e, depois duma curta ausência, reaparecem com um colar identificativo e um saco de lona Verde Fosforescente (ao qual a minha mulher lancará diversas pragas pois tenho já uma divisão cheia de sacos, malas e pastas comemorativas e evocativas das mais diversas conferências e exposiçõe)s.

Um dia destes começo a pendurá-las na parece, como troféus de caça, ou então vou começar a dá-las, ou sorteá-las ou,… isso mesmo, vender na eBay!

Sobre IL2006 | Comente!... »

 

Bad Behavior has blocked 991 access attempts in the last 7 days.