o bibliotecário 2.0 (SP1)

Service Pack 1


  • Facebook

    O Bibliotecário 2.0 on Facebook
  • Outros Blogues


    oitenta e cinco. Get yours at bighugelabs.com/flickr
  • RSS O outro blogue

  • Translate

  • Comentários

  • Arquivos Temáticos

  • Arquivo Mensal

Archive for the 'iatul06' Category

IATUL06: Van de Sompel (Continuação)

Posted by Julio Anjos on 17th Outubro 2006

Os rabiscos mentais (The Brave New World of Scholarly Repositories) expostos por Van de Sompel  (inventor de OpenURL e do OAI-PMH) no Porto, por ocasião da IATUL 2006, são agora expandidos num artigo na D-Lib de Outubro

An Interoperable Fabric for Scholarly Value Chains
by Herbert Van de Sompel and Xiaoming Liu, Los Alamos National Laboratory; Carl Lagoze, Sandy Payette, and Simeon Warner, Cornell University; and Jeroen Bekaert, Ghent University
doi:10.1045/october2006-vandesompel

Posted in iatul06 | No Comments »

Literacia Informacional: THINK Systemically ACT Strategically

Posted by Julio Anjos on 31st Maio 2006

Apresentação de Judith Peacock
da Queensland University of Technology
Por ocasião da conference: embedding libraries in learning and research
Ocorrida an Faculdade de Engenharia Universidade do Porto, Portugal
Entre 22 Maio e 25 de Maio 2006

Tradução (não profissional mas com muita paixão) do Bibliotecário 2.0 (β)


THINK Systemically
ACT Strategically



THINK Systemically
ACT Strategically

sustainable development of
information literacy in the
broader context of student learning

PENSAMENTO sistémico
ACÇÃO Estratégica

Desenvolvimento sustentado de
Literacia Informacional no
contexto alargado da educação




outcomes

let’s reflect on the what…
let’s investigate the why…
let’s consider the how…

Resultados:

Vamos Reflectir no “QUÊ”
Vamos Investigar o “PORQUÊ”
Vamos Considerar o “COMO”




What… concepts & principles
why… cause & effect
How… strategies & actions

QUÊ: Conceitos e princípios
PORQUÊ: causas e efeitos
COMO: Estratégias e Acções


Challenge 1
Change
The scale of current economic and social change,
the rapid transition to a knowledge-based society
and demographic pressures resulting from an ageing
population… are all challenges which demand a new
approach to education and training,
within the framework of lifelong learning.

Desafio 1
Mudança
A escala da mutabilidade económica e social no tempo presente
a rápida transição para uma sociedade baseada no conhecimento
as pressões demográficas resultantes de uma população envelhecida
são desafios que requerem uma nova aproximação à educação e formação
dentro de um quadro de aprendizagem para toda a vida.

European Commission




What: concepts & principles

QUÊ: Conceitos e Princípios



information literacy
… is an intellectual framework for
recognising the need for understanding,
finding, evaluating & using information
- activities which may be supported in
part by fluency with information technology,
in part by sound investigative methods,
but most importantly, through
critical discernment & reasoning.

A literacia informacional é:
-Plano director intlectual para reconhecer a
necessidade , encontrar , avaliar e usar informação
-Actividades que podem ser suportadas em
parte pela fluência em TIC, em parte em correctos
métodos de investigação, mas mais importante que tudo,
através de discernimento crítico e racional

Australian Information Literacy Standards (2000)




Prague Declaration
Towards an information literate society

The creation of an Information Society is key to
social, cultural & economic development of
nations & communities, institutions & individuals…

A criação de uma sociedade da informação é chave para o
desenvolvimento social, cultural e económico das
nações , comunidades, instituições e indivíduos…

… is a prerequisite for participating effectively in the Information Society,
and is part of the basic human right of lifelong learning

é um pré requisito para a
participação efectiva
na sociedade da informação
e parte do direito básico
de aprendizagem ao longo da vida

… plays a leading role in reducing the inequities within and among countries
and peoples, and in promoting tolerance and mutual understanding through
information use in multicultural and multilingual contexts

tem um importante papel na
redução de desigualdades entre paises e povos,
e na promoção da tolerância e compreensão mútua através do uso
da informação em contextos multi-culturais e multi-lingues

… a necessary step in closing the digital divide through the creation
of an information literate citizenry, an effective civil society and a
competitive workforce

é um degrau necessário
no fecho do abismo digital

através da criação de uma cidadania informacionalmente competente,
uma sociedade civil efectiva
e uma força de trabalho competititva.

… is a concern to all sectors of society and should be tailored by
each to its specific needs and context

é uma preocupação de todos
os sectores da sociedade
e devia
ser adapatada às necessidades
e contexto de cada indivíduo

…should be an integral part of Education of All, which can contribute critically to
the achievement of the United Nations Millennium Development Goals, and respect for the
Universal Declaration of Human Rights

devia ser uma parte da “Educação Para Todos“, que pode contribuir
criticamente para o alcance dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio das Nacções
Unidas, e para o respeito pela Declaração Universal dos Direitos do Homem,

http://www.nclis.gov/libinter/infolitconf&meet/post-infolitconf&meet/PragueDeclaration.pdf



lifelong learning…

…acquiring and updating all kinds
of abilities, interests, knowledge and
qualifications from the pre-school
years to post-retirement

…adquirir e actualizar todas as competências, interesses,
conhecimentos e qualificações desde a pré-primária à pos-reforma

…promotes the development of
knowledge and competences
that will enable each citizen
to adapt to the knowledge-based
society and actively participate in
all spheres of social and
economic life, taking more
control of his or her future

…. promove o desenvolvimento de conhecimento e competências
que capacitarão cada cidadão para se adaptar a uma societade baseada em
conhecimento e participar activalmente em
todas as esferas da vida social e económica
,
tomando mais controle da sua vida
e do seu futuro

…valuing all forms of learning,
including: formal learning
(k12-post education),
non-formal learning (workplace),
and informal learning (society)

dar valor a todas as formas de aprendizagem incluindo
educação formal (da primária ao mestrado),
aprendizagem não formal (local de trabalho),
e educação informal (sociedade)

European Commission Communication: Making a European Area of Lifelong Learning a Reality (Nov 2001)




strategic planning

processes which entail the
broad implementation of new
processes and systems to create
new, or transform existing,
practices to accomplish
major goals

processos basilares para a implementação
de novos processos e sistemas
de modo a criar novas práticas(ou transformar as existentes)
para atingir grandes objectivos

In Roberto, M. & Levesque, L. “The Art of Making Change Initiatives Stick”.
MIT Sloan Management Review, Summer, 2005, 46 (4), pp. 54-60, (2005).





O Objectivo

deliver sequential,
sustainable learning
of information literacy
for students

A prestação
de literacia informacional
sequencial e sustentada
a estudantes

through systemic reform
of information literacy
education bound to
organisation-wide
strategic planning

Através de reforma sistémica
da educação da literacia informacional
coligadada com planeamento estratégico
ao nível de
toda a insituição de ensino

to more fully support
individuals in their efforts
to instigate broad implementation
at a practical level

Para um mais completo suporte a cada
individuo
nos seus esforços de
instigar uma implementação a
um nível prático.

Isto é o fim do 1º episódio. Agradeço correcções e propostas de outra tradução nos comentários a esta entrada. Mais uns dias e coloco o segundo episódio:

Posted in iatul06 | No Comments »

Ainda sobre a apresentação de Teresa Lago na IATUL

Posted by Julio Anjos on 31st Maio 2006

Começou por relembrar a meme que lhe tinha ficado do tempo de estudante: a biblioteca como “Um santuário…um local de trabalho onde todas as respostas a todas as perguntas pareciam estar ao alcance da mão. Era alias impossível fazer investigação fora da biblioteca. Era também a era do micrifilem, não a era do digital.”

“Nesta nova ordem electrónica, estão as bibliotecas ultrapassadas (para os astrofísicos pelo menos)?”

Longe disso, diz a conferencista! Apenas têm um novo papel numa nova ordem ( “novum ordum gnosis”?) . Tal como muita outra coisa: afinal os astrofísicos também raramente vão aos observatórios… “mas precisamos deles como sempre precisámos. Agora, simplesmente, usamo-los remotamente. As bibliotecas são apenas lugares aonde não precisamos de ir fisicamente”.

Há afinal novas práticas de produção e publicação de novo conhecimento e resultados de investigação.

No ensino a diferença é ainda maior: o binómio: professor livro não é mais a configuração preferida de fonte de conhecimento.

O conhecimento precisa de estrutura para ser útil. A informação precisa de estrutura para ser conhecimento.

Os papeis do ensino e do professor: Amostragem (Sampling), Selecção (Selection), Apontar (Pointing), Guiar (Guiding)

As bibliotecas precisam de identificar novos papéis e novas funções nesta nova ordem: livros reais ( com textura e cheiro) – selecção de fontes de informação – bases e bancos de dados – livros virtuais e reais.

É uma função mais vasta – assistir: o que fazer – como aceder – familiaridade com múltiplosbancos de dados e seus conteúdos – serviços inter bibliotecas – etc., etc., etc…

Num mundo em que as fronteiras entre as ciências são cada vez mais esbatidas… que raio quer dizer “conhecimento inter disciplinar”? A ciência é um continuum.

Posted in iatul06 | No Comments »

IATUL: Herbert Van de Sompel (b)

Posted by Julio Anjos on 26th Maio 2006

Ora bem. Isto até tem a ver com DNA!

Hoje em dia uma obra intlectual científica é constituida por vários elementos digitais: um paper, um data set, um vídeo comstrando a execução da experiência, etc.

Cada um desses elementos é depositadas num repostório digital e o seu conjunto forma um documento digital.

Problema 1: o sistema de citação bibliográfica é altamente deficiente: por muito bem que siga qualquer norma bibliográfica ela vai ser sempre um inferno para ser traduzida automáticamwente num link para as obras citadas. À parte de purl‘s e doi‘s, um computador tem dificuldade não só em distinguir uma tese de uma monografia, quanto mais em criar um link para uma versão digital.

Problema 2: um documento é criado e várias cópias perfetas deixadas em vários repositórios. Daqui a 20 anos, tendo ca da repositório sido actualizado e reconstruído, serão essas 20 cópias ainda idênticas?

Problema 3: Fez-se hoje citação de uma dessas cópias; daqui a 20 anos ainda serão as 20 versões reflexos válidos do que foi citado hoje?

Protanto é necessário uma expansão dos protocolos que suportam o OAI para permitir “linhagem” ( palavra deliciosa ) e que cada documento seja identificado por: repositório de origem, id nesse repositório e data da versão usada. Esta informação deve ser incorporada por active clipboard em cada documento derivado (que o citem).

Seria possível, daqui a 20 anos, para um qualquer documento então produzido, traçar com segurança e aceder transparentemente a todos os documentos electrónicos que estão na base dele. Ou num documento já com 10 anos, aceder com autenticidade garantida a todos a cadeia de documentos (cadeia de valor científico) tanto para os citados, como para os derivados!

Isto atraiu já as atenções de vários gigantes da computação na medida em que o problema, da maneira como está a ser tratado pelos vários associados de vam Sompel, pode vir a tornarse numa solução abrangente para entre, outras coisas, versioning universal .

SP: Acho que se viu, no Porto, como nasce um protocolo.

Posted in iatul06 | No Comments »

IATUL: O lado social

Posted by Julio Anjos on 25th Maio 2006

Uma grande noite (veja-se a hora a que estou a colocar isto) na companhia de pessoas maravilhosas. Imagine-se que fiquei entre Odete Santos e Judith Peacock (tive mesmo de esclarecer os fine points de alguns doces mais específicos da doçaria portuguesa aos australianos).

A de 2007 vai ser num dos países nórdicos e a de 2008 na Nova Zelândia!

Fico ansiosamente à espera das fotografias.

Posted in iatul06 | No Comments »

IATUL: Organização!

Posted by Julio Anjos on 25th Maio 2006

A Drª Ana Azevedo que fique sabendo que a organização foi 5 estrelas e que toda a sua equipa é cinco estrelas. Um beijo muito especial à minha colega Teresa Sofia, sempre muito profissional… e um a braço ao Paulo Sousa (A “INFORMAÇÃO”), também sempre disponível para ajudar no que fõsse possível e preciso.

Não desprezando os outros, que à parte de alguma confusão na sinalética quando desistiram dos auditórios pequenos pelos grandes para as sessões paralelas, funcionou tudo às mil maravilhas. Eu apenas tinha tendência para recorrer às caras conhecidas…

Posted in iatul06 | No Comments »

IATUL: Herbert Van de Sompel (a)

Posted by Julio Anjos on 25th Maio 2006

E no fim… a pergunta mais interessante é: “Funciona como o cromossoma Y no DNA humano?” E estamos a falar de repositórios digitais…

Posted in iatul06 | No Comments »

Página 1 de 41234
 

Bad Behavior has blocked 1724 access attempts in the last 7 days.